Sobre a Tradução Jurídica

 

Quais habilidades?

A tradução jurídica exige habilidades raras. Além dos conhecimentos jurídico, técnico e cultural necessários para adaptar qualquer texto original para o público destinado, a tradução jurídica exige habilidades e conhecimentos jurídicos duplos. Os conceitos jurídicos usados no texto traduzido não terão necessariamente equivalentes no sistema jurídico de destino. De forma a evitar traduções incorretas, deve-se dominar os idiomas e os sistemas jurídicos dos dois países (de origem e de destino) para adaptar apropriadamente ou até mesmo explicar na ausência de um termo equivalente.

Por exemplo, o termo Supreme Court of New York não pode ser traduzido literalmente porque se trata de uma jurisdição de primeira instância, contrariamente ao que o seu nome sugere. Em francês, "une dette certaine, liquide et exigible" é um conceito jurídico e deve-se conhecer o termo equivalente no país de destino para produzir uma tradução de qualidade. Mas antes disso, o tradutor deve ser capaz de detector esses conceitos jurídicos, o que pode ser alcançado apenas através de prática no sistema jurídico de origem.

Quais tradutores?

Demandas que exigem um alto padrão pressupõem competência jurídica dupla e reduzem o grupo de tradutores jurídicos de elite a um pequeno número de advogados que estudaram e atuaram em pelo menos dois países. O atributo único e distintivo de TransLex é a sua capacidade de usar as habilidades dos advogados que fazem parte desse seleto grupo, assim como o seu fundador. 

Qual processo?

A tradução jurídica não segue a mesma lógica concernente a qualquer tradução básica. Ela deve ser completamente manual. Repetições não devem ser eliminadas, mas, pelo contrário, devem ser respeitadas escrupulosamente; o mesmo se aplica à forma dos documentos. Por exemplo: é crucial respeitar letras maiúsculas, que com frequência indicam termos definidos. 

Cada palavra deve ser analisada e traduzida de uma forma objetiva: não é um simples caso de interpretação. Essa abordagem exclui métodos utilizados em traduções “clássicas”, baseadas em ferramentas automáticas de computadores e o uso do “thesaurus”. Os poucos dicionários jurídicos bilíngues existentes são de uma qualidade pobre e a sua utilização não é recomendada.

Finalmente, é geralmente necessário adaptar certos conceitos jurídicos, incluindo quando não existe um equivalente exato ou quando o contexto assim exigir (ex. o termo francês "SAS" é traduzido alternadamente em inglês como simplified joint stock company e limited liability company, conforme apropriado).

Qual prestador de serviços?

Por todas essas razões, as agências chamadas “generalistas” não são qualificadas para as necessidades das suas traduções jurídicas. As agências especializadas, que não são numerosas, também não são adequadas: a sua competência jurídica é geral e não é especializada. Isso sem dizer que os seus resultados são, para dizer o mínimo, contrastantes. Não é surpreendente que tradutores experientes que passaram por treinamentos jurídicos não sejam capazes de traduzir e adaptar os documentos mais difíceis.

Assim, para alcançar melhores resultados, recomenda-se utilizar um fornecedor de serviços especializado na área específica do direito do(s) documento(s). É por essa razão que TransLex tem uma abordagem diferenciada por contratar apenas advogados bilíngues e duplamente qualificados (no país de origem e de destino da tradução) e confiar-lhes apenas tarefas dentro da sua área de especialização.

As exigências que estabelecemos a nós mesmos limitam, naturalmente, o âmbito da nossa atuação. No entanto, elas garantem uma qualidade significativamente superior em relação ao que os nossos concorrentes podem oferecer.

Quais projetosvocê pode nos confiar?

 

Nós aceitamos apenas projetos para os quais os nossos advogados-linguistas tenham experiência e conhecimentos jurídico, técnico, linguístico e cultural suficientes. Nós trabalhamos principalmente nas seguintes áreas: